Endurance

Sem concorrência, Toyota #8 vence a terceira em 2018 e puxa dobradinha nas 6h de Silverstone

E de novo, o trio da Toyota #8 soube arrancar a vitória no Mundial de Endurance. Depois de superar os companheiros do carro #7, que saíram da pole-position, Sébastien Buemi, Fernando Alonso e Kazuki Nakajima conquistaram o terceiro triunfo da temporada 2018-19 do WEC ao faturar as 6 Horas de Silverstone, neste domingo (19)
Warm Up / Redação GP, de Curitiba
 O Toyota #8 venceu as 6h de Silverstone (Foto: FIAWEC)
E a Toyota, uma vez mais, reinou sozinha no Mundial de Endurance. Sem qualquer concorrência, a equipe japonesa viu seus dois carros cruzarem a linha de chegada em primeiro e segundo nas 6h de Silverstone, terceira etapa da super temporada do WEC. E de novo, foi o protótipo #8 o vencedor. Sébastien Buemi, Fernando Alonso e Kazuki Nakajima não enfrentaram qualquer resistência - nem mesmo de seus colegas de time - para alcançar a terceira vitória seguida no campeonato.
 
A terceira colocação ficou com o Rebellion #3, pilotado por Mathias Beche, Thomas Laurent e Gustavo Menezes. O trio aproveito o abandono do SMP #11 para assumir o último lugar do pódio. O outro Rebellion cruzou a linha de chegada em quarto, logo à frente do SMP #17 de Stéphane Sarrazin e Egor Orudzhev, que completaram os cinco primeiros da classe LMP1. 
 
A equipe Jackie Chan DC dominou a categoria LMP2, puxando um forte 1-2. A vitória ficou com o trio Ho-Pin Tung, Gabriel Aubry e Stéphane Richelmi. O brasileiro André Negrão, da Signatech Alpine Matmut e que tem como parceiros Nicolas Lapierre e Pierre Thiriet, completou a prova na oitava posição no geral e terceiro na P2. 
 
Na GTE-Pro, a Ferrari levou a melhor e obteve a primeira vitória da temporada, com a dupla Alessandro Pier Guidi e James Calado celebrando um triunfo sem grandes sustos. O Porsche #91 levou Richard Lietz e Gianmaria Bruni ao segundo posto. A Ford #67 ainda terminou em terceiro. Augusto Farfus, que dividiu a BMW #82 com o português António Félix da Costa, abandonou com problemas de motor.
 
Já na GTE Am, o triunfo ficou com o Porsche 377 de Christian Ried, Matt Campbell e Julien Andlauer.
O Toyota #8 venceu as 6h de Silverstone (Foto: FIAWEC)
Confira como foram as 6h de Silverstone do Mundial de Endurance
 
O início da terceira etapa do WEC viu o Toyota #7, guiado por Kamui Kobayashi, saltar bem da pole-position e anular qualquer chance de ataque do carro #8, pilotado por Sébastien Buemi, que manteve a segunda colocação. Só que, mais atrás, a saída não foi tão calma. Um múltiplo acidente logo depois da largada envolveu protótipos da LMP2 e também carros da GTE-Pro. 
 
E tudo começou com o SMP #17, que tinha Stéphane Sarrazin ao volante. O francês quis defender a posição na primeira curva e acabou batendo no Rebellion #3 de Mathias Beche. O Ford #66 de Oliver Pla, que saía da posição de honra, também escapou da pista no mesmo ponto, parte do efeito dominó que teve início com Sarrazi. Pla, então, caiu para último na sua classe.  Apesar do caos, todo mundo foi capaz de voltar para a corrida.
 
Enquanto isso, lá na frente, Kobayashi já vinha impondo um ritmo forte e tinha 0s8 para Buemi. A diferença para os carros da SMP superava os 7s. Aí o #17 começou uma grande batalha contra ByKolles, já o SMP #11 ia frente com tranquilidade, sendo guiado por Mikael Aleshin.
 
Mais atrás, a batalha se acirrava entre o Ford #67 e o BMW, enquanto o Porsche #62 liderava com certa folga a classe GTE-Pro. Na Am, o comando seguia nas mãos do Project #56.
 
Quando a corrida atingiu a marca de 30 minutos, a classificação da LMP1 era a seguinte: o #7 liderava com 1s5 para o #8. O SMP #11 vinha 53s atrás, mas 7s à frente de Rebellion #1, que tinha vantagem de 18s para os companheiros do carro #3, fechando os cinco primeiros da corrida.
 
Pouco minutos mais tarde, a prova inglesa viu o primeiro abandono: o SMP #11, que vinha na terceira colocação. O motor foi o responsável pela saída do protótipo - e assim, Jenson Button sequer teve a chance de pilotar o carro em Silverstone.
 
Enquanto isso, o Toyota #7 seguia 3s2 à frente do colega #8, mesmo depois do primeiro pit-stop, que foi somente para o reabastecimento. Na LMP2, a liderança também se mantinha nas mãos do carro #37 da Jackie Chan - a vantagem era de 28s para o #29 da Team Nederland. 
 
Com pouco mais de uma hora de corrida e muito perto do segundo pit-stop, a ordem dos boxes fez Kobayashi abrir passagem para Buemi ao final da reta Hangar. Foi a primeira vez que o #8 assumiu a ponta. O suíço, então, abriu 2s3 para o companheiro. E foi ele mesmo o primeiro a parar pouco depois. A troca foi rápida e quem assumiu o cockpit do #8 foi Fernando Alonso. O #7 entrou uma volta mais tarde, substituindo o japonês por Mike Conway.
Fernando Alonso celebra vitória em Silverstone no WEC (Foto: Reprodução/Twitter)
E o Toyota #7 voltou à ponta da corrida, com 1s4 de vantagem para o carro #8. Mais atrás, o Jackie Chan #37 mantinha a liderança também na P2, enquanto o Ford #67 comandava o GTE-Pro, mas vinha em uma luta séria com a Ferrari #71, que acabou superando minutos depois. Na Am, o Project #56 seguia na primeira colocação. 
 
Aí Alonso começou a reduzir a diferença para o líder e, mesmo superando os retardatários, conseguiu se aproximar bem de Conway. E a ultrapassagem veio já perto das três horas de corrida. Na verdade, uma vez mais, a Toyota pediu a inversão de posições. Dessa forma, Fernando tomou a ponta, logo depois do pit-stop dos dois carros. O espanhol abriu, então, 5s de diferença e foi apenas assim até a entrada do safety-car, que acabou eliminando a vantagem.
 
Não demorou nada, e Fernando cedeu o carro a Nakajima, que acabou cometendo um erro e perdeu a ponta para José María López, que entrou no lugar de Conway. Mas couve a Buemi, já na parte final da corrida, reassumir a liderança, aproveitando um problema com o #7. E assim foi até o fim, para vencer pela terceira e ampliar a liderança do Mundial.
 
A próxima etapa do WEC acontece no dia 14 de outubro, em Fuji, no Japão.