Endurance

Com Ramos, Fortes e Padron, protótipo AJR estreia com vitória no Endurance Brasil em Santa Cruz do Sul

A prova reuniu 29 carros e reuniu grandes nomes do automobilismo brasileiro, como Daniel Serra, Sérgio Jimenez — que largou na pole —, Júlio Campos, Ricardo Maurício, Xandy e Xandinho Negrão e David Muffatto. A vitória ficou com o AJR #11
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 O protótipo AJR #11 cruza a linha de chegada e vence as Três Horas de Santa Cruz do Sul (Foto: Bruno Terena/MS2)
A quinta etapa da temporada 2018 do Endurance Brasil foi disputada no último sábado (29) com a disputa das Três Horas de Santa Cruz do Sul. A prova, realizada no tradicional circuito cravado no interior gaúcho, contou com 29 carros no grid, grandes nomes do automobilismo brasileiro e viu a vitória do protótipo AJR #11, da JLM Racing. O modelo foi guiado por César Ramos — piloto da Stock Car que fez sua estreia na categoria —, Emílio Padron e Fernando Fortes.
 
A prova reuniu pilotos consagrados na Stock Car, como o atual campeão Daniel Serra, o bicampeão Ricardo Maurício, Xandy e Xandinho Negrão, Júlio Campos, Sérgio Jimenez e o também campeão David Muffato, além de nomes como Guilherme Figueroa, Vicente Orige, atual campeão do Brasileiro de Marcas, e Carlos Kray.
 
A pole-position da prova ficou com Sérgio Jimenez, que voou de Silverstone — onde realizou os primeiros testes com o carro elétrico da Jaguar — para Santa Cruz do Sul. O paulista dividiu o volante do protótipo AJR #26 com Oswaldo Scheer. O AJR #11, que contou com Padron abrindo a prova, tomou a liderança de Scheer logo na largada. Quem partiu bem também foi a dupla Xandy e Xandinho Negrão. A bordo do Mercedes AMG GT3 da Scuderia 111, o pai abriu a corrida e pulou de sétimo para terceiro lugar.
Vitória de Emílio Padrón, César Ramos e Fernando Fortes no Endurance Brasil em Santa Cruz do Sul (Foto: Bruno Terena/MS2)
No primeiro stint da corrida, Padron seguiu na dianteira até a parada para entregar o AJR #11 a Fernando Fortes, que partiu para a segunda parte da corrida. Neste tempo, a equipe chefiada por Juliano Moro sofreu uma baixa com o abandono do AJR #26 de Jimenez e Scheer. Outro AJR, o #65, guiado por Nilson e José Ribeiro, também deixou a disputa, o que causou a entrada do safety-car.
 
Nesta altura da prova, Xandinho Negrão era um dos protagonistas da corrida e, após travar duelo com o AJR #11 com Fortes, tomou a liderança da corrida com o Mercedes AMG GT3 #09.
 
Até que, na parte final da corrida, César Ramos assumiu a condução do protótipo e se colocou na batalha pela vitória contra Xandy Negrão. Melhor para o piloto da casa. Natural de Novo Hamburgo, o gaúcho conseguiu assumir a liderança e partiu para a vitória logo na sua primeira prova no Endurance Brasil. As Três Horas de Santa Cruz do Sul tiveram 127 voltas percorridas.
Largada das Três Horas de Santa Cruz do Sul, com os protótipos AJR puxando a fila (Foto: Bruno Terena/MS2)
“Fiquei muito feliz com a estreia já com vitória. Fiquei muito feliz com o convite. Sempre conversava com o Juliano Moro e tinha vontade de guiar. Desta vez, deu certo. Agradeço muito ao Emílio e ao Fernando, que me deram essa possibilidade de parceria. O carro é muito parecido com um fórmula e me lembrou muito o tempo que corria nesses carros, bem diferente do Stock Car, por exemplo”, disse.
 
“Peguei um carro numa posição muito confortável, pois tanto o Emílio, quanto o Fortes, fizeram dois stints perfeitos. Era levar o carro até o final cuidando, poupando equipamento e tendo paciência para ultrapassar os retardatários com segurança. Deu tudo certo e fiquei muito feliz com o final de semana”, comemorou César.
 
No resultado final, Xandy e Xandinho Negrão finalizaram em segundo lugar na classificação geral, a P1, e com vitória na classe GT3. A dupla segue na liderança geral do campeonato e soma 545 pontos, 40 a mais em relação ao vice-líder, Chico Longo, que terminou em quarto lugar na disputa em Santa Cruz do Sul ao lado de Daniel Serra com uma Lamborghini Huracán da Via Itália Racing, em parceria com a TMG.
 
“Foi um fim de semana muito bom. Conseguimos subir ao pódio por duas vezes, tanto na geral, em segundo, quanto na categoria GT3, onde vencemos. Toda a equipe vem desenvolvendo um ótimo trabalho e nos dando um carro competitivo e, ao mesmo tempo, confortável para guiar essas corridas longas”, declarou Xandy.
 
Marcel Visconde, que faz dupla com Ricardo Maurício no Porsche 911 #70 da Stuttgart Motorsport, completou o top-3 da classificação geral da corrida no fim de semana, que foi marcado por homenagens do grid do Endurance Brasil a Alan Hellmeister, que se recupera de um grave acidente sofrido há uma semana no International GT Open em Monza, na Itália. Guilherme Figueroa, que formaria dupla com Hellmeister em Santa Cruz do Sul, rendeu homenagem ao colega, que segue internado na Europa.
 
A próxima etapa da temporada 2018 do Endurance Brasil está marcada também para o Rio Grande do Sul, no circuito do Velopark, em Nova Santa Rita, no dia 27 de outubro.