Endurance
03/07/2018 10:54

Com grid de 42 carros, Longo e Gomes levam Lamborghini à vitória na etapa de Interlagos do Endurance Brasil

A etapa aconteceu marcou a segunda vitória da Lamborghini Huracán #19 na temporada. A prova em Interlagos foi marcada por equilíbrio e muita disputa em pista entre os três primeiros colocados e chegada noturna depois de quatro horas de prova
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Pódio da GT3 nas 4h de Interlagos (Foto: Bruno Terena/MS2)

A etapa de Interlagos do Endurance Brasil foi marcada por muita ação ao longo das quatro horas de prova neste sábado (30). A Lamborghini Huracán #19 venceu pela segunda vez na temporada, garantindo Chico Longo e Marcos Gomes, substituto de Daniel Serra, na liderança do campeonato. Xandy e Xandinho Negrão ficaram em segundo, com a Mercedes AMG GT3 #09, e o Porsche 911 GT3R #70 levou Marcel Visconde e Ricardo Maurício para completar o pódio. 
 
“A Huracán GT3 é um carro fantástico e confiável de guiar, tem uma resistência muito boa. A estratégia de correr por um tempo mais longo foi fundamental e ajudou bastante para o resultado final, consegui realizar um ritmo bom com resistência”, explicou Gomes, que recebeu o carro de Chico, na terceira posição, depois de duas horas de prova.

Depois de assumir a Huracán GT3, o piloto começou a perseguição para alcançar a primeira posição e, 45 minutos antes do fim da prova, conseguiu uma manobra sobre o Porsche para a segunda posição. A hora era, então, de ir em busca do lugar mais alto do pódio. Uma incessante disputa com a Mercedes, que liderava, proporcionou uma briga de várias voltas até Gomes finalmente ultrapassar por fora no S do Senna e garantir a vitória da segunda etapa da temporada.
Huracán conquistou a segunda vitória na temporada em Interlagos (Foto: Bruno Terena/MS2)
“Foi uma corrida incrível, complicada no início, mas com ritmo conseguimos alcançar os líderes com uma disputa forte. Estou muito contente e espero o próximo convite da equipe para correr com a Huracán GT3”, seguiu Gomes.
 
Xandinho Negrão, que estava a bordo da Mercedes nas horas finais, destacou a competição intensa e a disputa por posição que travou com o piloto da #19.
 
“Depois de quatro horas de corrida chegamos os três primeiros com sete segundos de diferença, e isso é muito legal, mostra o quanto estamos competitivos. Conseguimos liderar mais de 90% da corrida, então foi uma pena no final. Lutamos para manter a ponta, mas a visibilidade a noite também estava muito ruim, foi difícil conseguir nos mantermos na frente, pelo menos conseguimos segurar a Porsche que vinha logo atrás. Agora vamos trabalhar para a próxima etapa”, declarou explicou Xandy.
Mercedes liderou grande parte da prova em Interlagos (Foto: Bruno Terena/MS2)
Na terceira colocação, os pilotos do Porsche #70 também comentaram a excelente prova que aconteceu em Interlagos.
 
"Foi uma corrida maravilhosa pelo resultado, pela diferença entre os três primeiros colocados depois de quatro horas e pela disputa muito respeitosa entre os três. As retas longas não são boas para nós, mas temos conjunto muito bom”, afirmou Visconde.
 
Ricardo também destacou o grande equilíbrio entre as três ponteiras e afirmou era difícil saber o que poderia ter acontecido no final da prova.
 
“Nosso carro tem motor de 6 cilindros e competimos contra modelos com motores V8 e V10. Mesmo assim, houve um grande equilíbrio. No final da corrida, o pedal do freio ficou um pouco mais baixo porque este tipo de corrida exige muito dos freios. É difícil dizer se eu poderia passar o Mercedes no final: quando se chega atrás de um carro daquele tamanho, perde-se
pressão aerodinâmica. Mas estou feliz", completou.
 
Na categoria P1, o Tubarão #05 de Tiel de Andrade e Julio Martini conquistou a vitória em uma corrida de grande trabalho de estratégia e promessa de briga acirrada, com dois AJR largando na primeira fila. O top-3 ficou completo com o AJR #117 de Henrique Assunção, Fernando Fortes, Emílio Padron e Fernando Ohashi, que largaram na mesma posição. A terceira colocação foi do Predador #35 de Jair e Duda Bana.

Na classe P2, Mauro Kern e Paulo Sousa , com o Tubarão #32, foram os primeiros colocados, seguidos pela dupla Cali Crestani e Fernando Stedile, com o Tornado #03. O MRX #75, também do quarteto Assunção, Fortes, Padron e Ohashi, ficou na terceira posição.
Vitória do Tubarão #32 na classe P2 (Foto: Bruno Terena/MS2)
Na P3, o primeiro lugar ficou com os irmãos Gustavo e Rafael Simon da MRX #56, o segundo do ano. Em seguida, vieram os Spyder #76 de Ricardo Furquim, José Magalhães e Cláudio Leone, e o Spyder #79 de E. Oliveira e V. Penques na terceira colocação. A GT4 terminou com a primeira conquista de Henry Visconde e Márcio Basso na Audi RS3, colocando a dupla na liderança do campeonato. A segunda colocação foi da segunda posição foi da Mercedes CLA AMG #63 de Sergio Ribas e Paulo Varassin, com a terceira colocação do Mitsubishi Lancer #777 de Marcos Scalamandré, Rodrigo Garcia e Ricardo Landi.
 
O campeonato da Endurance Brasil viaja, agora, para o sul do país. A terceira etapa da temporada já tem data marcada e acontece no dia 21 de julho, no circuito de Tarumã, no Rio Grande do Sul. 
 
 
LISTRAS LISÉRGICAS

COM CHICANE E CORES POLÊMICAS, PAUL RICARD DIVIDE OPINIÕES