Endurance

Alonso rebate críticas e vê vitória nas 24h de Le Mans com Toyota “em tão alto nível quanto qualquer outra”

Fernando Alonso decidiu falar sobre os comentários a respeito de sua vitória nas 24 Horas de Le Mans. Defendendo a Toyota, única equipe de fábrica, muito se falou que o triunfo do espanhol foi relativamente fácil. No entanto, o bicampeão da F1 afirmou que foi em tão alto nível quanto qualquer outra
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Alonso escreveu sua própria história e deu o segundo passo rumo à Tríplice Coroa (Foto: F1/Twitter)
Fernando Alonso decidiu responder aos tantos comentários que vem sido feitos sobre sua vitória nas 24 Horas de Le Mans. Após tantas acusações de que o triunfo do espanhol foi fácil pela falta de adversários, o piloto afirmou que foi tão legítima como qualquer outra.
 
Ao lado de Sébastien Buemi e Kazuki Nakajima, o bicampeão da F1 subiu no degrau mais alto do pódio da icônica prova do Mundial de Endurance. O trio também garantiu a primeira vitória da Toyota.
 
No entanto, após as saídas da Audio e Porsche, a marca japonesa é a única equipe de fábrica correndo na divisão principal da prova, a LMP1. Inclusive, cruzou a linha de chegada com uma vantagem de dez giros para a terceira colocada Rebellion Racing, um time privado.
E Alonso finalmente fez história com a segunda das três coroas do automobilismo (Foto: Toyota)
Sobre os comentários, Alonso minimizou o fato de ter apenas uma equipe de fábrica, dizendo que a conquista foi em tão alto nível como as demais. “No ano passado tinham quatro carros, nesse ano eram dez”, disse.
 
“Neste ano nós tínhamos o único sistema híbrido com 49% mais eficiência que qualquer outro carro, e foi um ótimo desafio. Eu coloco essa vitória em alto nível como qualquer outra em Le Mans”, completou.
 
Fernando ainda falou do desafio de manter um carro em perfeito estado de competição por 24 horas, o que torna tudo ainda mais imprevisível. “É diferente, pois a corrida é muito difícil e exige demais. Qualquer pacote que você tenha, ainda precisa brigar durante a prova e entregar a execução perfeita da corrida”, ressaltou.
 
“Vemos em outras categorias, LMP2 e GTE, até mesmo os favoritos, no final da corrida, não está claro, não dá para prever. A equipe do chefe, Zak Brown, ficou em terceiro no final, e acredito que na classificação era 14º. Isso é como Le Mans é difícil e como é imprevisível”, concluiu.