DTM
22/07/2017 11:15

Rast controla primeira corrida em Moscou e vence com 1-2 da Audi e Rockenfeller como 'escudeiro'

René Rast e Mike Rockenfeller reinaram sozinhos na primeira corrida do fim de semana do DTM na capital russa. E, verdade seja dita, Rockenfeller até tentou complicar o companheiro de Audi, mas só conseguiu ajudar na defesa dele. Augusto Farfus largou bem e chegou a incomodar as Audi dianteiras, mas um toque em Rockenfeller causou um furo de pneu e o fim das chances de pontos
Warm Up / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
 René Rast venceu a corrida 1 em Moscou (Foto: Audi Sport)

A vitória da Audi em Moscou começou quando Marco Wittmann foi o único a superar René Rast e Mike Rockenfeller no treino classificatório para a primeira corrida do fim de semana do DTM em Moscou, na manhã deste sábado (22). Punido por bater o limite de advertências na temporada, caiu cinco posições e permitiu que Rast e Rockenfeller se protegessem como donos da primeira fila. Mike, é bem verdade, tentou atacar na largada e chegou ao fim da prova bem perto, mas sempre respeitando os pontos da montadora. Rast, assim, assume a ponta do campeonato.
 
A corrida em Moscou não foi tão movimentada quanto as duas de Norisring, mas a largada até foi animada. Primeiro porque Rockenfeller quase passou, mas Timo Glock e Mattias Ekström chegaram a se encontrar. Logo na volta seguinte, Augusto Farfus atacou Rockenfeller pelo segundo posto, mas um toque entre os dois furou o pneu do piloto da BMW. 
 
A cada vez mais popular estratégia do pit-stop nas primeiras voltas fez com que Rast e Rockenfeller, nos giros 15 e 16, fossem alguns dos últimos a parar. E Mike gastou a asa móvel para pulverizar a distância para o líder. Ainda que sem a intenção, Rockenfeller evitou que qualquer outro piloto ameaçasse Rast. Ele próprio até encostou, mas não atacou. Vitória relativamente tranquila para Rast.
 
Wittmann ainda conseguiu subir o bastante para completar o pódio. Robert Wickens, Glock, Lucas Auer, Gary Paffett, Ekström, Jamie Green e Maro Engel fecharam o top-10.
René Rast venceu a corrida 1 em Moscou (Foto: Audi Sport)
Confira como foi a corrida:
 
Com a punição de cinco posições a Marco Wittmann - por sofrer a terceira a advertência da temporada na corrida passada, em Norisring -, o piloto caiu da pole-position para o sexto posto antes da largada. René Rast foi quem teve o direito a partir da posição de honra na primeira corrida do fim de semana do DTM em Moscou.
 
Logo na partida, Mike Rockenfeller tentou mergulhar para cima do companheiro de Audi, mas Rast se segurou. Quarto e quinto colocados, Mattias Ekström e Timo Glock se tocaram. Quem se deu mal, porém, foi o terceiro no grid, Augusto Farfus. O piloto da BMW tentou se dar melhor com um Rockenfeller que aceitava o segundo posto e atacou. Na segunda curva da segunda volta, Farfus ignorou a porta fechada de Mike e tentou passar pela grama. Por um momento, até passou, mas com contato entre os dois e causou um furo no pneu do brasileiro. Logo Farfus precisou ir aos boxes e saiu da disputa. Já por decisão própria, Paul di Resta, Maxime Martin e Edoardo Mortara também foram ao pit-lane - estratégia que rendeu a vitória a Martin na segunda prova em Nuremberg.
 
A direção de prova se pronunciou logo nas primeiras voltas sobre Nico Müller, que queimou a largada. O suíço não conseguiu escapar do drive-through ao qual foi submetido. Na frente, a disputa esquentou entre Timo Glock e Wittmann. O ex-piloto da Toyota na F1 passou o campeão e assumiu o terceiro posto, mas não fugiu. Os dois ficaram num empurra-empurra que prometia bastante, mas Marco foi aos boxes na volta 12 - uma antes de Glock.
 
Os dois voltaram a se encontrar algumas voltas depois. Wittmann se vingou, passou de volta no fim da reta dos boxes e assumiu o que era o último lugar do pódio. Mais atrás, Ekström se desdobrava para conseguir ultrapassar Lucas Auer. A briga de quatro carros ficou bem divertida, então, porque Ekström perdeu o ponto da freada, e Jamie Green e Gary Paffett aproveitaram para fazer a ultrapassagem.
 
Rast e Rockenfeller caminhavam com certa tranquilidade nas primeiras colocações. Enquanto isso, Robert Wickens fazia a volta mais rápida da prova, 1min29s573, enquanto caçava Wittmann. Chegou, enfim, e superou o pole punido na volta 21. Nas voltas seguintes, apenas uma única mudança de posição no top-10: Ekström enfim conseguiu ultrapassar alguém, no caso Green, e subiu para o oitavo lugar. 
 
Até que, na volta 30, Wittmann encostou num Wickens que gastou seus pneus sem medo e aí não teve como segurar. 
 
Farfus, depois do começo animador, levou o carr à garagem de forma melancólica. Nunca se recuperou dos problemas dos metros iniciais da prova. Apenas ele e Tom Blomqvist não terminaram a corrida.
 
Ao fim de 38 voltas, Rast venceu, seguido por Rockenfeller e Wittmann, completando o pódio. Wickens, Glock, Auer, Paffett, Ekström, Green e Maro Engel encerraram a zona de pontuação.
 
GRANDE FORMA DE BOTTAS NA F1 MOSTRA QUE PREVISÕES ESTAVAM ERRADAS: "NEM A PRÓPRIA MERCEDES ACREDITAVA"