DTM

Mercedes confirma volta de Wehrlein e mantém quatro veteranos para temporada de despedida no DTM em 2018

A Mercedes vai deixar o grid do DTM em 2018. Para a última temporada na categoria, a marca confirmou a permanência de Gary Paffett, Edoardo Mortara, Paul di Resta e Lucas Auer. E ainda anunciou o esperado retorno do campeão de 2015, Pascal Wehrlein
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Pascal Wehrlein (Foto: Sauber)

De partida do DTM, a Mercedes anunciou dois terços do seu rol de pilotos para a temporada 2018. Na verdade, a marca de Stuttgart manteve quatro veteranos para seu ano de adeus à categoria. E ainda aproveitou para, pouco depois do primeiro anúncio nesta quarta-feira (7), confirmar o que há muito já se esperava: o retorno do campeão de 2015, Pascal Wehrlein. O jovem e talentoso alemão encontra refúgio na categoria graças à Mercedes depois de ter ficado sem vaga na F1. Wehrlein vai trabalhar ao lado de Gary Paffett, Paul di Resta, Edoardo Mortara e Lucas Auer. Resta, portanto, apenas um nome a ser confirmado para fechar o sexteto.

“Tenho lembranças incríveis com o DTM, não apenas por causa do meu título em 2015, mas também graças ao espírito de equipe e de muitas outras experiências boas com os caras. Acompanhei o DTM de perto enquanto estive na F1 e visitei e apoiei a equipe em algumas corridas. As coisas mudaram muito no DTM desde minha última prova, no fim da temporada 2015, em Hockenheim. Mas gosto de desafios e mal posso esperar para entrar na pista pela primeira vez com nosso carro novo”, comemorou Pascal.
O campeão voltou: Pascal Wehrlein está de volta à Mercedes para a temporada 2018 do DTM (Foto: DTM)
Dos seis pilotos que defenderam a Mercedes no DTM no ano passado, dois deles deixaram a categoria para se dedicar a outros projetos. Robert Wickens cruza de volta o Atlântico para fazer sua estreia na Indy pela Schmidt Peterson como companheiro de equipe de James Hinchcliffe. E Maro Engel volta seu foco definitivamente à Fórmula E e também às provas de GT.
 
Mortara, companheiro de equipe de Engel na Venturi pela Fórmula E, vai disputar as duas categorias, mas vai ter de lidar com um conflito de datas logo na segunda etapa do DTM, entre 18 e 20 de maio em Lausitzring, que vai bater com o eP de Berlim, marcado para o dia 19. O ítalo-suíço de 31 anos ainda vai anunciar qual categoria vai priorizar neste fim de semana.
 
Ulrich Fritz, chefão da Mercedes no DTM, afirmou que mesmo sendo um ano de despedida, quer ver a marca fazer um bom trabalho do início ao fim para fechar a trajetória com chave de ouro.
 
“2018 vai ser nosso último ano no DTM, mas isso não muda nada a nossa disposição de entrar na briga, nosso enorme espírito de equipe e nosso comprometimento. Nós pretendemos trabalhar juntos em busca de um objetivo em comum, trazer um desfecho positivo para o último capítulo da Mercedes AMG-Motorsport no DTM, que vem de 30 anos”, comentou o dirigente.

 

Quanto à vaga remanescente, a última dentre as 18 ainda livre no grid do DTM para 2018, quem desponta com boas chances de regressar à categoria é o espanhol Daniel Juncadella,
 
O fato é que a Mercedes amarga um jejum incômodo no DTM. A última vez que a marca viu um piloto seu campeão foi justamente com Wehrlein, em 2015. No campeonato dos construtores, a seca é ainda maior: a montadora da estrela de três pontas não é campeã desde 2010.