DTM

Martin supera Auer e vence corrida 2 do DTM em Norisring marcada por batida entre Paffett e Rockenfeller

Talvez a batida forte entre Gary Paffett e Mike Rockenfeller tenha sido o momento mais importante da corrida, mas a briga entre Lucas Auer e Maxime Martin não pode ser esquecida. Martin venceu, mostrando que se dá muito bem em Nuremberg
Warm Up / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
 Largada do DTM em Norisring (Foto: DTM)


Maxime Martin e Lucas Auer protagonizaram o duelo mais duro da temporada 2017 do DTM na segunda corrida do fim de semana em Norisring, neste domingo (2). No fim das contas, porém, após várias trocas de posição entre os dois, o belga conseguiu conter o austríaco e se recuperar da corrida perdida na largada no sábado. Martin se aproxima das primeiras colocações do campeonato.

Além da forte briga entre os líderes, o outro grande momento da corrida foi a forte batida iniciada pelo toque de Jamie Green em Gary Paffett. A Mercedes de Paffett virou rapidamente e, em velocidade, foi direto com a traseira na barreira de proteção, como um chicote. Sem controle do destruído carro, Paffett deslizou até a pista e acertou em cheio a frente de Mike Rockenfeller. Gary machucou o braço, enquanto Mike saiu mancando. Ambos foram encaminhados para o hospital.

Auer foi um dos adeptos da parada para troca de pneus ainda na primeira volta, algo que se mostrou extremamente correto. Foi quem mais fez ultrapassagens no começo da corrida e colocou na liderança do campeonato. Quem completou o pódio foi Edoardo Mortara e numa disputa impressionante. O italiano tomou a frente na reta de chegada, deixando para trás Mattias Ekström e Marco Wittmann, quarto e quinto colocados, respectivamente. Paul di resta, Augusto Farfus - que também foi aos boxes na primeira volta -, Green, Tom Blomqvist e Timo Glock fecharam o top-10.
 
Ekström segue líder do certame, com 89 pontos. Mas o campeonato ficou muito embolado. Auer subiu para 87, enquanto Martin, Jamie Green e René Rast têm, respectivamente, 78, 75 e 72. O DTM segue no fim de semana de 21-23 de julho com a etapa de Moscou.
Maxime Martin venceu em Norisring (Foto: DTM)

Confira como foi a corrida 2 do DTM em Norisring:
 
Assim com na corrida do sábado, a largada não foi boa para o pole-position. Se ontem Maxime Martin quase não saiu, neste domingo foi a vez de Tom Blomqvist ter enormes dificuldades para partir. Nessa toada, Robert Wickens assumiu a ponta enquanto o vencedor da corrida 1, Bruno Spengler, pulou para a segunda colocação. Blomqvist não insistiu na pista e foi aos boxes logo no fim da volta de abertura. Como ele, Lucas Auer, Augusto Farfus, Jamie Green e Maro Engel também entraram. Embora algumas voltas depois, Mattias Ekström, Gary Paffett e Spengler também investiram em paradas mais cedo.
 
Auer era extremamente veloz. Pasosu Spengler, Mike Rockenfeller e René Rast. Wickens parou na volta dez e voltou ameaçado por Martin e Auer. Lucas, voando, se aproveitou de uma tentativa fracassada de Martin e tomou o segundo lugar. Em seguida, de forma inapelável, levou Wickens. A lideran de fato da corrida, descontando aqueles que ainda precisavam ir aos boxes. Um pouco mais atrás, Marco Wittmann e Ekström se envolviam numa disputa que, de tão forte, foi até colocada sob investigação - porém sem punições.
 
Enquanto Martin chegava para pressionar Auer, Rast e Wickens protagonizaram a primeira grande confusão do dia. Wickens tentou atacar por fora na Grundig, mas Rast, com outros planos, espalhou. O toque foi inevitável. O carro de Rast ficou de lado, ao passo que Wickens foi empurrando a máquina do rival durante bons metros. O safety-car, então, deu o ar de sua graça. Cinco voltas depois e com uma relargada em movimento, a corrida recomeçava. E o recomeço foi péssimo para Auer, ultrapassado por Martin e Spengler. Bruno, no entanto, teve que ir aos boxes com um furo de pneu. 
 
A impressão era que Martin iria disparar na liderança. Só que esses planos foram rapidamente frustrados. A relargada da volta 31 não deu uma sequência longa à corrida, porque Paffett foi tocado por Green e escapou da pista no giro 33, acertou a barreira de proteção da Grundig violentamente e deslizou de volta para a pista, onde acertou em cheio o carro de Rockenfeller. Bandeira vermelha e preocupação.
Paffett, já destruído, acerta Rockenfeller (Foto: Reprodução/DTM)
Embora Paffett e Rockenfeller tenham saído do carro sem dificuldades, Paffett tinha dores no braço esquerdo e Rockenfeller saiu mancando. Ambos foram levados para o hospital, segundo informado por Mercedes e Audi, para avaliação. Já que o guard-rail foi danificado, a parada durou por quase 30 minutos. No momento de mais uma relargada, Martin, Auer e Witmann eram os três primeiros. Ekström, Edoardo Mortara, Paul di Resta, Farfus, Green, Blomqvist e Engel formavam o top-10.

A briga entre Martin e Auer estava mais viva do que nunca quando a corrida voltou. O safety-car andou duas voltas e saiu, permitindo as brigas. E Auer rapidamente deixou Martin para trás. Quatro voltas mais tarde, Martin deu o troco quando retardou a freada para mergulhar na Grundig. 

Duval, apenas na volta 43, foi aos boxes pela primeira vez. Pressionado, Martin travou na Grundig e viu Auer quase que grudar na traseira. O vice-líder, porém, escorregou na tentativa de encostar no contorno da Dutzendeich. A quatro voltas do fim, era o fim das chances de vitória. E Auer só não precisou se preocupar com Wittmann, porque o campeão teve de se proteger de Ekström logo atrás.
 
Na penúltima volta, o sueco levou o terceiro posto, mas Mortara encostou e a disputa passou a ser direta entre três carros. E, impressionante, foi um sprint na reta de chegada que resolveu. Martin e Auer foram mesmo os dois primeiros, mas Mortara levou a melhor e foi terceiro. Ekström, Wittmann, Di Resta, Farfus, Green, Blomqvist e Timo Glock completaram o top-10.

POLÊMICA MOSTRA QUE VETTEL PISOU NA BOLA E HAMILTON FOI MALANDRO EM BAKU