DTM

Incidente misterioso com Farfus muda corrida, e Rast vence quinta seguida no DTM. Título segue em aberto

A disputa pelo título do DTM vai seguir fervente até a última corrida da temporada 2018 em Hockenheim.. René Rast venceu a quinta seguida, algo que jamais acontecera no DTM, enquanto Gary Paffett caiu de segundo para quarto após o safety-car forçado pela misteriosa quebra da porta de Augusto Farfus. Paul di Resta foi apenas o oitavo
Warm Up / PEDRO HENRIQUE MARUM, RIO DE JANEIRO
 René Rast (Foto: Audi)
A disputa do título do DTM na temporada 2018 vai até o último dia de disputa, algo que não acontecia há algum tempo. Na manhã deste sábado (13), René Rast fez algo que jamais havia acontecido antes na categoria de carros de turismo: enfileirou a quinta vitória seguida. 
 
O piloto da Audi largou na quarta colocação e estava em segundo após algumas poucas voltas. A equipe adiantou o pit-stop para que ele encontrasse o então líder Gary Paffett na sequência. E deu certo. Rast ultrapassou, tomou 'xis', passou de novo. No fim de uma bela briga pela vitória, que terminou numa relargada pós safety-car causado por Augusto Farfus - que perdeu uma porta na pista - levou a melhor. 
 
A porta misteriosa de Farfus - que explodiu sem que a TV mostrasse imagens - causou uma grande mudança. Robin Frijns escalou vários postos e terminou no segundo lugar, com Timo Glock em terceiro. Muito irritado com o safety-car, Paffett perdeu até o pódio e ficou com o quarto lugar.
 
Paul Di Resta jamais esteve bem na corrida, mas piorou depois da relargada. Terminou no oitavo posto e perdeu a liderança do campeonato para Paffett. Entre os dois, Loïc Duval foi quinto, Mike Rockenfeller foi sexto, Nico Müller foi sétimo. Bruno Spengler e Edoardo Mortara fecharam o top-10. Farfus, depois do 'Portagate', abandonou. Não que sem antes a BMW tentasse soldar uma porta nova em seu carro.
 
Postulantes ao título, os três vão com as seguintes pontuações para o domingo, no encerramento da temporada: Paffett tem 237 tentos contra 233 de Di Resta e 224 de Rast, que vê a chance de uma escalada histórica para o título após um início de campeonato muito ruim. 
René Rast (Foto: Audi)
Confira como foi a corrida:
 
O dia realmente começou bom para Gary Paffett na busca pelo título. Após classificar na segunda colocação e descontar para dois pontos a desvantagem para Paul di Resta, o inglês saltou para a liderança logo na largada. Auer não partiu bem e ficou sem ter como resistir.
 
O líder do campeonato, Di Resta, também saiu bem. Foi do oitavo posto para o quinto, mas era o pior entre os três postulantes. René Rast, que segue forte na briga após vencer as quatro corridas anteriores, ultrapassou Augusto Farfus na terceira volta e Auer na quinta. Sem se segurar, partiu para cima de Paffett.
 
Auer tinha péssimo rendimento e logo ficou para Farfus, que retomou o terceiro posto. O pole da corrida partiu para os boxes ainda na sétima volta e estacionou o #22 na garagem. Fim de prova para ele.
 
Mesmo com o abandono de Auer, Di Resta também não estava bem. Após a recuperação inicial, sofreu um toque de Robin Frijns, saiu da pista e perdeu a posição para o holandês e para Timo Glock. O sexto posto foi apenas momentâneo, entretanto, porque a direção de prova mandou Frijns devolver a posição. Uma situação complicada, porque Glock estava entre os dois, mas Frijns teve que abrir o caminho e liberar passagem para ambos.
René Rast (Foto: Audi)
Glock se adiantou e tomou o terceiro lugar de Farfus, ao passo que Di Resta foi logo para cima do brasileiro tentar ultrapassar também. Mais atrás, Edoardo Mortara cometeu um erro e passeou pela brita, caindo para o fim da fila. 
 
Na 11ª volta, enfim, Di Resta passou Farfus, que nem sequer usou o DRS para se defender. Em seguida, Frijns também passou. 

A Audi adiantou a parada de Rast nos boxes para a volta 13, tentando forçar uma briga direta com Paffett, que entrou no giro seguinte com uma manobra até um tanto quanto indecisa. A tentativa da Audi deu certo, porque Rast ficou colado com Paffett com quase o mesmo número de uso disponível de DRS sobrando. 
 
Logo na 16ª volta, Rast fez tudo certinho e ultrapassou, mas errou logo na curva, devolvendo a posição. Metros à frente, passou de novo. Apesar de Paffett até tocar o carro da Audi, foi inapelável. A liderança mudava de mãos. Sem desistir, foi Paffett quem atacou na volta seguinte, sem sucesso imediato.
 
Di Resta voltou dos boxes ainda atrás de Glock, mas imediatamente atacou. Na volta 18, enfim passou. Neste momento, os três primeiros colocados do campeonato ocupavam os primeiros três lugares. 
 
Numa corrida de poucos erros, Bruno Spengler escapou na volta 19 e foi bem longe dentro da brita. O piloto canadense ocupava somente a 17ª colocação.
 
O grid estava fora de ordem, mas Loïc Duval, que já havia parado, ultrapassou Di Resta. Foi a percepção do crescimento meteórico do piloto francês. Glock também passou, aliás.
 
Quando, na 23ª volta, Rast e Paffett voltaram a ocupar os dois primeiros postos da corrida, o piloto da Mercedes tentou tomar a liderança. Conseguiu um toque mais ríspido e perigoso entre os dois, mas não passou ali. Instantes depois, atacou de novo, foi empurrado para fora da pista por Rast, mas se manteve no páreo e concluiu a ultrapassagem. A questão agora é que Rast tinha um DRS a mais por ser usado.
 
Rast tocou a traseira de Paffett na volta seguinte, passou e tomou o xis. Mas ultrapassou de novo numa bela disputa pela vitórias. 
Augusto Farfus (Foto: Reprodução/Twitter)
Atrás da dupla, Daniel Juncadella, que fora o primeiro a fazer o pit-stop, aparecia em terceiro. Glock era o quarto, com Duval em quinto e Farfus em sexto. Di Resta se via somente na sétima colocação. Por pouco tempo, porque a porta da BMW caiu. Sim, caiu. O brasileiro precisou parar nos boxes e, apesar das tentativas de soldar uma porta nova, ele abandonou. Mas a situação causou um safety-car e emparelhou o pelotão. 
 
Na relargada, faltou espaço para todo mundo e Di Resta andou na terra, espalhando uma nuvem de poeira. Atrás dele, Marco Wittmann ficou sem ter como ver e acertou a traseira do escocês. Wittmann levou a pior e abandonou. 
 
Na frente, Rast disparou, mas Glock começou a pressionar Paffett e eventualmente passou. Situação de Rast melhorava cada vez mais na disputa pelo título. Juncadella, que chegou a andar entre os primeiros, foi caindo vertiginosamente após a relargada, enquanto Frijns subiu com vigor. Subiu até passar por Paffett, que ficou sem pódio, e Glock. Di Resta também foi Mike Rockenfeller e Nico Müller para terminar somente em oitavo. 

Com Paffett, Di Resta e Rast separados por apenas 13 pontos, o encerramento da temporada vai definir o título.