DTM

Green vence corrida sonolenta em Hockenheim. Rast chega à frente de Ekström e adia decisão para domingo

No começo da prova, Jamie Green travou disputa roda a roda com Timo Glock e conquistou a liderança, num dos raros momentos de emoção neste sábado em Hockenheim. Daí em diante, partiu para a vitória. René Rast terminou em quinto e, com o 11º de Mattias Ekström, adiou a decisão do título para domingo. Mas o sueco depende só de si para garantir o tricampeonato do DTM
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Jamie Green venceu a prova deste sábado em Hockenheim (Foto: DTM)

Enquanto busca se reinventar diante do momento de indefinição para o futuro, o DTM entregou ao bom público neste sábado (14), em Hockenheim, uma corrida praticamente toda desprovida de emoção. Um dos poucos momentos dignos de nota foi a batalha roda a roda entre Jamie Green e Timo Glock, o pole-position. Os dois pilotos se tocaram, mas levou a melhor o britânico, que levou a Audi para uma vitória fundamental na corrida 1 da rodada derradeira da temporada. A definição do título, que poderia ter saído neste sábado, foi adiada para a última corrida do campeonato. Rene Rast salvou um match-point de Mattias Ekström ao terminar a corrida em sexto. O sueco, que está bem perto de conquistar o tricampeonato, finalizou em 11º.
 
Ao fim de 36 voltas, Green cruzou a linha de chegada com 3s939 à frente de Mike Rockenfeller, que conseguiu passar Glock no fim e consolidou a dobradinha da Audi em Hockenheim. O piloto da BMW teve se contentar com o terceiro lugar, à frente de outro carro da BMW, do belga Maxime Martin. Edoardo Mortara, da Audi, completou o rol dos cinco primeiros.
 
Em sexto lugar, Rast garantiu a sobrevivência na luta pelo título em sua batalha com Ekström. Robert Wickens foi o sétimo colocado, à frente de Lucas Auer e Gary Paffett. Bruno Spengler fechou o top-10 deste sábado. Augusto Farfus foi o 17º colocado.

Com os resultados deste sábado, Green entrou de vez na briga pelo título. O britânico tem agora 163 pontos e superou Rast, que ficou com 159. Rockenfeller ainda tem chances matemáticas e soma 152. Ekström, que não pontuou, estacionou nos 172. Assim, a disputa pela taça ainda está bastante aberta para o domingo em Hockenheim.
Jamie Green venceu a prova deste sábado em Hockenheim (Foto: DTM)
Saiba como foi a corrida 1 do DTM em Hockenheim
 
Dono da pole em Hockenheim, Glock manteve a liderança na primeira volta da ensolarada tarde deste sábado. Foi uma largada sem muitos problemas, que teve Mattias Ekström, o líder do campeonato, perdendo uma posição. O veterano sueco caiu para 11º, enquanto seu grande perseguidor na luta pelo título, René Rast, vinha em quinto. Farfus aparecia em 14º.
 
21 pontos atrás de Ekström no campeonato, Rast dependia muito do resultado da corrida deste sábado para adiar a decisão do título para a corrida derradeira, neste domingo. Para Ekström, o fundamental era passar longe dos erros para ao menos manter uma dianteira confortável caso não fosse possível garantir o título no sábado.
 
Nas voltas iniciais, a corrida foi uma verdadeira procissão, com poucas ultrapassagens e as principais posições mantidas. Glock liderava com ligeira margem para Jamie Green, da Audi, enquanto Maxime Martin vinha em terceiro. Edoardo Mortara colocava a melhor Mercedes da prova até então em quarto, seguido pela Audi de Rast.
 
Na sétima volta, porém, Green se aproximou e fez a ultrapassagem sobre Glock no grampo após a reta oposta. O alemão tentou manter a posição, e os dois travaram uma disputa lado a lado, chegando a se tocar. No fim, o piloto da Audi levou a melhor e tomou a ponta. Foi um dos poucos momentos de ação durante toda a corrida.
 
Pouco depois, começou a movimentação nos boxes em Hockenheim. Ekström foi um dos primeiros a fazer sua troca de pneus, sendo seguido por Farfus, Maro Engel, Lucas Auer, Nico Müller e Timo Glock. Ekström voltou à pista em 16º e passou a travar intensa disputa com Engel, da Mercedes. Rast, que realizou seu pit-stop pouco depois, aparecia em 14º.
Mike Rockenfeller ganhou de Timo Glock a segunda posição no fim (Foto: DTM)
Com o pit-stop do líder Green na volta 15, o campeão de 2013, Mike Rockenfeller, tomou a dianteira da corrida, com os veteranos Gary Paffett e Bruno Spengler completando o top-3 provisório. Green era o primeiro dentre os pilotos que já haviam feito a parada obrigatória, seguido por Glock, Martin e Mortara.
 
Rockenfeller esticou o quanto pode seu stint e só fez a parada obrigatória na 23ª volta. Assim, apenas Tom Blomqvist, da BMW, se colocava à frente de Green, mas ainda não tinha feito seu pit-stop, de modo que a liderança real era mesmo do piloto da Audi. 
 

Mas antes mesmo da parada de Blomqvist, Green comprovou o melhor ritmo e fez a ultrapassagem na pista, no mesmo ponto onde superou a BMW de Glock no início da prova. Em seguida, Blomqvist finalmente fez sua parada e tornou reais as posições da pista. Glock subiu para segundo, com Maxime Martin em terceiro. Rast aparecia em sexto, enquanto Ekström aparecia em décimo, restando dez minutos para o fim da disputa. 
 
Já na parte final da corrida, Rockenfeller conseguiu passar a BMW de Martin para assumir a terceira posição. Não satisfeito, o alemão também conseguiu passar Glock e subiu para segundo, completando a dobradinha da Audi em Hockenheim.
’EXTRAORDINÁRIO’

DI GRASSI VÊ HAMILTON COMO UM DOS TRÊS MAIORES DA HISTÓRIA