DTM
09/09/2017 10:50

Chuva trai Farfus após largada perfeita, e Auer acaba com vitória na corrida 1 do DTM em Nürburgring

O clima instável transformou a primeira corrida do DTM em Nürburgring em uma loteria. Assim, o que parecia ser o fim do jejum de vitórias de Augusto Farfus se transformou em um triunfo de Lucas Auer, mesmo que com uso de ordens de equipe
Warm Up / VITOR FAZIO, de Porto Alegre
 Lucas Auer (Foto: DTM)

A corrida 1 do DTM em Nürburgring, disputada neste sábado (9), foi o mais próximo de uma loteria que o automobilismo pode oferecer. Entre períodos de sol forte e verdadeiros temporais, qualquer tentativa de acertar uma estratégia em cheio ficou comprometida. No meio dessa bagunça, o que parecia ser uma vitória tranquila de Augusto Farfus acabou se transformando em um triunfo de Lucas Auer.
 
Farfus liderou a primeira metade da corrida com tranquilidade, consequência de uma largada perfeita, em que saltou de quarto para primeiro em questão de metros. Mas o brasileiro teve um contratempo gigantesco: a chuva voltou a cair forte instantes depois de um pit para colocar pneus de pista seca. Assim, Farfus precisou de um pit extra e acabou apenas em oitavo.
 
Na dianteira, a disputa seguiu animada. No ciclo de pits, Auer e Paul Di Resta retardaram a parada e acertaram. Acontece que Di Resta superou Lucas nos boxes. Em vão: na penúltima volta, a Mercedes usou ordens de equipe para colocar Auer na liderança novamente, deixando o alemão mais forte na briga pelo título.
Lucas Auer (Foto: DTM)
O pódio ainda contou com Robert Wickens, que se sustentou entre os cinco primeiros ao longo da corrida. Maro Engel, René Rast, Jamie Green, Edoardo Mortara, Farfus, Marco Wittmann e Gary Paffett completaram a zona de pontos.

No campeonato, a briga segue imprevisível. O líder Mattias Ekström foi 14º e segue estacionado com 128 pontos. Auer, por sua vez, vai aos 127 com a vitória. Rast segue por perto com 124. Restam cinco provas até o fim da temporada.

Saiba como foi a corrida 1 do DTM em Nürburgring
 

A manhã em Nürburgring foi marcada pela forte chuva, o que seria um belo tempero para a corrida 1 do DTM. É verdade que o sol já estava até abrindo na hora da largada, mas a pista seguia muito molhada, garantindo primeiras voltas bastante complicadas para os 18 pilotos.
 
Lucas Auer, pole, até largou bem. Mas não a ponto de manter a liderança: o brasileiro Augusto Farfus, partindo da quarta posição, partiu muito bem e contornou a primeira curva na ponta. Auer, Paul Di Resta, Robert Wickens e Marco Wittmann completavam o top-5 ao fim da primeira volta.
 
Com a vantagem de ser o único piloto com visão clara da pista, sem spray, Farfus começou a se distanciar dos demais. O brasileiro precisou se duas voltas para abrir 2s6 sobre Auer, que não tinha um ritmo muito bom. Mais atrás, Wickens era atacado por Wittmann, mas sustentava o quarto lugar.
 
Mais atrás, as coisas ainda eram confusas. Jamie Green escapou da pista na terceira volta, despencando para 18º e último.
 
O tempo passava e o sol ficava cada vez mais forte na Alemanha. A pista estava claramente molhada, massa a possibilidade de usar pneus de pista seca na segunda metade da corrida parecia cada vez maior.

Na altura das dez voltas de corrida, as maiores brigas seguiam acontecendo no meio do pelotão. Gary Paffett, que tinha feito uma classificação ruim, ia recuperando terreno aos poucos. Depois de superar René Rast e Maro Engel, Paffett se consolidou em nono.
Augusto Farfus tinha grandes chances de vencer, mas acabou em oitavo (Foto: DTM)

O líder do campeonato Mattias Ekström seguia em sétimo, posição que ocupava desde o começo da corrida. Considerando que os principais rivais na briga pelo título também faziam uma corrida pouco inspirada, o sueco respirava aliviado.
 
Restavam 30 minutos de corrida e Farfus seguia liderando com tranquilidade. O brasileiro tinha 7s2 de vantagem para Auer, que se preocupava com a aproximação de Di Resta.
 
Mais atrás, Wittmann vivia apuros na briga pelo quinto lugar. O piloto sofria para encontrar ritmo e fazia de tudo para segurar Timo Glock, sexto. Sorte de Marco que Timo cometeu um erro e acabou superado por Ekström. Mais um pouco e Glock também foi tocado, rodando e perdendo muito tempo.
 
25 minutos para o fim, e o ciclo de pits começava a esquentar. Paffett e Wittmann foram dois dos primeiros a ir aos boxes, em um grupo que incluía outros seis pilotos – todos da metade de trás do grid.
Paul di Resta liderava, mas precisou aceitar ordens de equipe e abrir caminho (Foto: DTM)
Quando a troca para slicks parecia a estratégia correta, tudo mudou. O sol forte foi trocado por uma pancada de chuva, que virava as estratégias de cabeça para baixo.
 
Azar gigantesco para Farfus, que recém havia colocado pneu slick. O brasileiro precisou voltar aos pneus de chuva duas voltas depois, despencando para 15º lugar e saindo da briga pela vitória.
 
Vitória essa que agora estava próxima de Lucas Auer. O piloto retardou o pit ao máximo e trocou pneu de chuva gasto por pneu de chuva novo. Auer seguia preocupado com Di Resta, que optou por retardar a parada obrigatória um pouco mais.

A preocupação se provou correta. Di Resta superou Auer depois de fazer uma volta extra, tomando a liderança. Mas não adiantou nada: na penúltima volta, a Mercedes obrigou o britânico a entregar a liderança para o alemão, que segue sonhando com o título.
 
HAMILTON FAZ DEVER DE CASA E JOGA BOLA PARA VETTEL. QUE TEM OBRIGAÇÃO DE VENCER EM SINGAPURA