DTM

'Chocado', Glock diz que saída da Mercedes do DTM abre portas na busca por soluções para aumentar audiência

Timo Glock, como todo o restante od grid do DTM, ficou surpreso com a saída da Mercedes da categoria. Mas ele tenta ver pelo lado positivo: a categoria tem a chance, e a obrigação, de buscar soluções para que o público volte a acompanhá-la
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Timo Glock dominou em Oschersleben (Foto: BMW Motorsport)

A saída da Mercedes do DTM, anunciada em 2017, sem dúvidas enfraqueceu a categoria para este ano. E quem segue nela sabe que precisa lutar para que o campeonato se mantenha relevante e para que o público siga (ou volte a) gostando e acompanhando suas corridas. 

O primeiro passo na busca pela audiência foi o aumento do calendário para 20 corridas (em dez rodadas duplas), em vez das 18 do último ano. Além disso, o campeoanto volta à Itália após oito anos, correndo no circuito de Misano. Mas é necessário fazer mais.

Timo Glock, no DTM desde 2013, é um dos que ficaram 'chocados' com a saída da Mercedes. E que tenta ver, mesmo assim, o lado positivo.

Para o alemão, é a chance de a categoria se reestruturar e buscar novos caminhos para agradar ao público. "Por um lado é um choque, por outro abre portas, é assim que precisamos ver isso. Abre-se uma chance do DTM fazer as coisas de forma diferente", disse.
Timo Glock (Foto: DTM)
Glock afirma que um bom exemplo de caminho que a categoria deve seguir é o da V8 Supercars, da Austrália. "Eles fazem tudo certo. Usam carros ideais. Comparados com o DTM, eles têm carros com zero downforce. Você consegue perseguir os rivais, ultrapassar, pilotar lado a lado, coisas que não podemos."

"Precisamos nos livrar do downforce e nos aproximar do que eles fazem lá na Austrália. É pura corrida. Tem luta, é o que os fãs querem ver. As fábricas precisam enxergar isso para o futuro. Entreter os fãs, é o que precisamos. Com um show melhor, os fãs estarão conosco", seguiu o alemão.

O piloto da BMW estará nas pistas com o DTM no dia 5 de maio, na abertura da categoria, em Hockenheim.  No mesmo circuito, no dia 18 de outubro, a temporada se encerra. O grid será formado por 18 pilotos.