Copa GP

Segundo em Interlagos, Fábio Nakiri supera início difícil e brilha com escalada no fim da prova

O piloto Fábio Nakiri quase ficou de fora da bateria final da Copa GP em Interlagos depois de terminar a prova classificatória na nona colocação. Depois, cresceu de produção e terminou em segundo após grande atuação na fase final da corrida decisiva

Warm Up / VINÍCIUS PIVA, de São Paulo
Fábio Nakiri é um dos destaques da terceira edição da Copa Grande Prêmio de Kart. Na primeira etapa da competição, realizada na Granja Viana, foi um dos melhores novatos e acabou em terceiro lugar. E, na segunda prova do calendário, disputada no último sábado (16), em Interlagos, o piloto teve um desempenho notável mais uma vez e terminou na segunda posição. 
 
Com a boa sequência de resultados e um lugar entre os melhores na tabela de classificação da Copa GP, Nakiri se coloca como um dos principais candidatos ao título da Taça Edgard Mello Filho, que terá seu desfecho no início de abril. 
 
Para chegar ao segundo pódio consecutivo, porém, Nakiri precisou de uma dose extra de superação. Na bateria classificatória, o piloto passou um aperto e quase ficou de fora da disputa final. Acabou em nono, bem perto da linha de corte, já que apenas os dez melhores classificados tinham direito a uma vaga na prova final. 
 
“A bateria classificatória iniciou de uma forma que não me agradou em nada: saí para a tomada de tempo junto com o Paulo Sant'anna e o kart aparentava ter um bom motor. Porém, com a temperatura dos pneus subindo, o kart começou a sair demais de traseira, matando a minha velocidade em curvas, principalmente no miolo e entrada da reta. Comecei a perder posições e fiquei na berlinda em pouco tempo, ‘rezando’ para que terminasse logo a corrida. Por sorte, encontrei o Tony Bernardes e fizemos um acordo de cavalheiros para que fôssemos à final em P9 e P10”, explicou Nakiri. 
Fábio Nakiri cresceu de produção na hora certa (Foto: Rodrigo Berton)
A história foi bem diferente na bateria final. Mesmo largando no meio do pelotão, seu rendimento foi crescendo ao longo da corrida. No fim, Nakiri se recuperou de um início conturbado e recebeu a bandeirada na segunda colocação.
 
“Na final, não consegui uma volta limpa. Com tantos bons nomes no grid, qualquer detalhe faz a diferença para estar na pole ou na nona posição. Largando no meio é difícil pois ficamos presos na confusão. Quando, finalmente, consegui livrar me da bagunça, iniciei a caça ao pelotão da frente. Eu e o Marcos Alemão nos juntamos e alcançamos rapidamente o bloco dos líderes”, diz. 
 
Na visão de Nakiri, se houvesse mais algumas voltas, dava para brigar pela vitória. Contudo, o resultado o deixa em boas condições para buscar o título do primeiro mini-torneio do ano e, consequentemente, uma vaga direta nas 500 Milhas da Granja Viana.
Corsa
“Alemão e Talarico se encontraram na minha frente; com isso, o caminho abriu se para buscar os quatro primeiros. Faltou apenas mais uma ou duas voltas para um melhor ataque ao Mansano, que parabenizo pela ótima e cerebral corrida. Foi uma etapa bem tensa e com um final muito bom pelo segundo lugar e resultado dos concorrentes diretos. Agora é foco total na última etapa do torneio e buscar a primeira vaga na equipe das 500 Milhas da Scuderia GP com todas as minhas forças!”, completa.
 
A Copa GP de Kart volta no próximo dia 6 de abril (sábado), com a etapa final da Taça Edgard Mello Filho na Granja Viana. A largada está marcada para às 15h (horário de Brasília) e o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo de perto.