Copa GP

Paulo Sant’Anna usa experiência para brigar pelo título da taça Edgard Mello Filho na Copa GP de Kart

O piloto de 52 anos foi um dos destaques na primeira corrida do campeonato deste ano e, por muito pouco, não fez a pole position. Ele traz na bagagem o título da Copa Brasil de Kart na categoria F4 para incomodar os adversários e entrar na Scuderia GP para as 500 Milhas

Warm Up, / GUILHERME BLOISI, de São Paulo
A temporada 2019 da Copa GP de Kart mal começou e já trouxe alguns novatos que provam que a briga para fazer parte da Scuderia GP nas 500 Milhas em dezembro vai ser bem complicada. O nível de pilotagem subiu bastante, como bem disse o organizador do campeonato, Renato Ribeiro, e os pilotos que estiveram na equipe em 2018.

A vitória na primeira etapa foi de um velho conhecido do campeonato, Sidney Rogério, mas não foi nada fácil. E Paulo Sant’Anna é um dos pilotos que deseja voos maiores na competição. Na Granja Viana, foi um dos destaques da prova, perdeu a pole position nos últimos segundos de classificação e teve grande desempenho na prova, terminando na sexta colocação. “Minha expectativa é estar sempre no pódio, mas me senti bem. O campeonato oferece atrativos legais e espero melhorar para a etapa seguinte em Interlagos para estar na briga pelo título”.
 
Paulo Sant'Anna na Copa GP de Kart 2019 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
O advogado de 52 anos foi campeão em 2018 da Copa Brasil de Kart na categoria F4 Super Sênior e, em entrevista ao GRANDE PRÊMIO, contou um pouco sobre sua carreira. Ele sempre sonhou em correr de carro, mas só atingiu este objetivo a partir de 2013, quando foi ao kartódromo de Aldeia da Serra (SP) e foi convidado para disputar um campeonato pela THR, do nosso velho conhecido de Copa GP, Márcio Simão.
 
“Participei desta bateria como convidado e, a partir do momento que surgiu a possibilidade de competição amadora, em meados de 2014, a coisa acabou ficando séria, adquiri um kart próprio e entrei em competições nacionais, como o Brasileiro, o Paulista e a Copa Brasil, e procuro toda semana pilotar, pelo menos, uma hora”, afirmou.
Como cresceu na era de ouro do automobilismo brasileiro e fã de Emerson Fittipaldi e José Carlos Pace, Sant’Anna afirma que seu pai é o grande responsável na paixão pela modalidade. “Eu me lembro de que, quando menino, meu pai acordava cedo aos domingos para acompanhar a Fórmula 1 pelo rádio e eu ficava do lado dele torcendo”.
 
A paixão pelo kart sempre é reforçada em suas palavras e, por isso, acredita que entre os pilotos a divulgação de campeonatos e dos resultados é bem satisfatória, mas isso não chega ao grande público. “Vejo que existem sites que falam do kartismo amador e do profissional, isso é bom, mas falta algo mais para termos em TV de canal aberto. Isso acaba refletindo nas categorias de base, em que o número de pilotos deveria ser bem maior”, disse.

A próxima etapa da Taça Edgard de Mello Filho será no dia 16 de março (sábado), ao meio-dia (horário de Brasília), em Interlagos. E você já pode se inscrever para esta corrida clicando aqui. Tudo sobre a prova você acompanha pelo GRANDE PRÊMIO.