Brasileiro de Turismo

Di Mauro festeja início “que não poderia ter sido melhor” no BR de Turismo e encara lastro como desafio em Santa Cruz do Sul

Gaetano di Mauro teve um início de trajetória no Brasileiro de Turismo dos mais animadores e deixou Goiânia como líder do campeonato. O paulista, que disputou no último fim de semana uma etapa do Europeu de Kart na Bélgica, volta a acelerar em Santa Cruz do Sul com um grande desafio pela frente: correr com 80 kg de lastro em seu carro #11 da Shell Racing
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 A vitória logo na estreia: Gaetano Di Mauro festeja o triunfo em Goiânia (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)
 

Aos 19 anos, Gaetano di Mauro começou 2017 cheio de novidades na sua trajetória. Nascido em São Paulo, o jovem e talentoso piloto recebeu a chance de desenvolver sua carreira na Academia Shell Racing e ganhou uma oportunidade de ouro: fazer parte do grid do Brasileiro de Turismo com todo o suporte do programa da Shell. E logo na sua estreia, Di Mauro fez bonito: venceu uma corrida, terminou outra em terceiro e encerrou a etapa de Goiânia como líder do campeonato e 33 pontos somados.
 
Neste caminho em que busca alcançar o título do Brasileiro de Turismo com o fim de chegar ao concorrido grid da Stock Car em um futuro próximo, Gaetano destacou o bom início de trabalho na Academia Shell Racing. 
 
O piloto passou a contar com um suporte e uma segurança que jamais teve antes em sua carreira. Ter a chance de trabalhar com grandes profissionais e poder usufruir de uma estrutura profissional capaz de fazê-lo pensar apenas em correr e dar seu melhor faz Di Mauro aproveitar cada segundo e lutar para retribuir todo o apoio em resultados, como foi desde o começo da sua jornada.
Gaetano di Mauro assumiu a liderança logo na sua estreia no Brasileiro de Turismo (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)
Nas etapas do Brasileiro de Turismo, Di Mauro tem a chance de acumular conhecimento não apenas com a sua equipe, a W2, mas também com toda a equipe TMG/Shell Racing na Stock Car. Assim, o jovem piloto pode aprender muito com nomes de muita experiência na categoria como Ricardo Zonta, Átila Abreu e Thiago Meneghel, chefe da equipe americanense.
 
“Foi um bom começo com a Shell. Acho que a gente fez um bom trabalho lá. A Academia também está me proporcionando uma boa base em tudo”, disse o paulista em entrevista ao GRANDE PRÊMIO. “Além de não deixar faltar nada, estou aprendendo muito com todos lá, com os pilotos, com as categorias que eu acompanho que contam com os pilotos da Shell. Então esse contato geral ajuda muito”, explicou Gaetano, que ainda saboreia o gosto do sucesso pela estreia quase perfeita no Brasileiro de Turismo.
 
“A etapa lá em Goiânia foi muito boa. Acho que foi um início que não poderia ter sido melhor. Foi bom que a gente mostrou força para campeonato neste começo de ano, e isso é muito importante, sobretudo para dar confiança. O trabalho foi super bem feito, e tanto a equipe como a Shell Racing têm me dado todo o suporte que eu preciso”, destacou o piloto.
 
Entre a etapa de abertura do Brasileiro de Turismo até à segunda etapa, em Santa Cruz do Sul, são mais de 40 dias de intervalo. Mas nem por isso Gaetano ficou parado. O piloto se manteve em atividade física e também em ritmo de corrida acelerando no kart. Mas o desafio do último fim de semana foi muito além. O piloto teve a chance de medir forças com alguns dos melhores nomes do kartismo mundial durante a etapa de Genk, na Bélgica, do Campeonato Europeu de Kart, o CIK FIA.

Di Mauro competiu na classe KZ2, a mais rápida de todo o campeonato, em um grid formado por mais de 60 pilotos de todo o mundo. Sem dúvidas, foi um grande treino para uma dura etapa que está por vir no próximo fim de semana.
 
“Fui contratado pela CRG para fazer essa etapa aqui do Europeu de Kart na Bélgica. É o maior nível de kartismo no mundo, o CIK FIA. Isso me deixa muito bem preparado porque é um trabalho em que eu recebo muita pressão”, contou.
Di Mauro vai ter um desafio de peso em Santa Cruz do Sul: guiar seu carro #11 com 80 kg de lastro (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)
“Estamos sempre disputando com 60 caras que viram praticamente o mesmo tempo que você, fora os outros que também estão buscando isso. Então é um nível muito alto e que me ajuda a preparar para a etapa de Santa Cruz do Sul”, salientou.
 
Gaetano sabe o desafio que vai ter pela frente. Uma das novas regras da classe de acesso à Stock Car é o lastro de performance. Assim, os quatro primeiros do campeonato correm com seus carros mais pesados, da seguinte forma: 80 kg a mais para o líder; 70 kg para o segundo; 60 kg para o terceiro e 50 kg de lastro para o quarto colocado. A única corrida em que o lastro não vai ser implantado vai ser na última, em Interlagos, em dezembro. 
 
Desta forma, em razão das regras, Di Mauro vai correr com seu #11 80 kg mais pesado neste fim de semana no interior gaúcho. “Acho que o objetivo é tentar fazer um bom trabalho como na primeira etapa. Sei que agora vou ter 80 kg de lastro, e isso prejudica muito o acerto do meu carro como um todo. Mas, mesmo assim, vamos procurar dar o melhor”, comentou.
 

“O peso atrapalha, mas é uma coisa que tenho de entender e acertar o carro com isso, me acostumar”, salientou o piloto, ciente de que vai ter de conviver com o lastro se continuar entre os ponteiros da temporada. “É o que vai fazer a diferença no campeonato. Se continuar em primeiro, vou ter de levar o peso, então é entender tudo isso, trabalhar com o peso e desenvolver bem o nosso carro”, concluiu Di Mauro.
 
A programação da segunda etapa do Brasileiro de Turismo começa na próxima sexta-feira (19) com a realização de dois treinos livres, os dois no período da manhã. No sábado, a partir de 8h45 (horário de Brasília), os pilotos vão ter dez minutos para a definição do grid de largada da corrida 1, que está marcada para 14h55. A rodada dupla de Santa Cruz do Sul se encerra com a corrida 2, às 8h35. A previsão do tempo para o fim de semana é de chuva na sexta-feira e tempo bom no sábado e domingo, mas com frio nesses dias, com a mínima chegando a 8ºC.
RUMOR SOBRE PRÉ-ACORDO COM MERCEDES PODE ESTRAGAR RELAÇÃO ENTRE VETTEL E FERRARI