Brasileiro de Turismo
10/09/2017 09:20

Borlenghi larga em último, conta com tática perfeita em Londrina e vence pela primeira vez no Brasileiro de Turismo

Giulio Borlenghi deu o pulo do gato e fez seu pit-stop antes da entrada do safety-car após a batida sofrida por Gustavo Frigotto. A Full Time Academy, equipe do santista de 21 anos, acertou em cheio e o ajudou a vencer pela primeira vez no Brasileiro de Turismo. Gabriel Robe chegou a andar em último lugar, também tirou proveito da estratégia, terminou em segundo e ampliou sua vantagem na liderança do campeonato
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Giulio Borlenghi vence pela primeira vez no Brasileiro de Turismo (Foto: Marcus Cicarello/Radical Motors/RF1)

Se o sábado não foi dos mais favoráveis, a manhã deste domingo (10) trouxe as melhores notícias para Giulio Borlenghi. Excluído da primeira prova do fim de semana em Londrina por conta de um incidente com Pedro Saderi, o santista de 21 anos largou em 17ºe último lugar, mas contou com estratégia perfeita para vencer pela primeira vez no Brasileiro de Turismo. Tão logo aconteceu a batida de Gustavo Frigotto, a Full Time Academy, equipe de Borlenghi, o chamou para o pit-lane para cumprir a parada obrigatória. Em seguida, o safety-car entrou na pista, e só então os líderes fizeram seus respectivos pit-stops. Assim, pilotos como Borlenghi, Gabriel Robe e Gustavo Myasava, que figuravam em posições intermediárias, deram o ‘pulo do gato’ e avançaram para as primeiras colocações da prova.
 
O grande vencedor do fim de semana acabou sendo Robe. Depois de ter assumido a liderança do campeonato após o abandono de Gaetano di Mauro no sábado, o gaúcho da Motortech conseguiu outro bom resultado. Também na base da tática, o atual vice-campeão do Brasileiro de Turismo se recuperou após se envolver em um incidente com Frigotto na primeira volta, chegou a cair para último, mas escalou o pelotão e contou com a estratégia para terminar em segundo. Myasava foi o terceiro, enquanto Lucas Peres e Guto Matiazi, da L3, fecharam o pódio.
 
O mais prejudicado pela entrada do safety-car foi Marco Cozzi. O experiente piloto, que largou na pole e lutou durante o tempo todo com Lukas Moraes, despontava como grande candidato à vitória, mas a mudança da dinâmica da prova com a bandeira amarela o deixou apenas em sexto, à frente de Luca Milani e Di Mauro, oitavo colocado.
Giulio Borlenghi vence pela primeira vez no Brasileiro de Turismo (Foto: Marcus Cicarello/Radical Motors/RF1)
Após o fim de seis etapas, Robe abriu 19 pontos de vantagem para Di Mauro e agora soma 131 pontos. Luca Milani também alcançou contagem centenária e tem 102 tentos. Cozzi acumula 88, mesma pontuação de Frigotto, enquanto Raphael Reis, substituído por Lukas Moraes em Londrina, tem 86. Pietro Rimbano, que abandonou neste domingo, e Borlenghi, vencedor da prova, somam 83 e 81 pontos, respectivamente.
 
A sétima e penúltima etapa do Brasileiro de Turismo vai acontecer em pouco mais de dois meses, nos dias 18 e 19 de novembro, em Goiânia. Vai ser a última rodada dupla antes da etapa final, em Interlagos, no dia 10 de dezembro.
 
Saiba como foi a corrida 2 do Brasileiro de Turismo em Londrina
 
Seguindo a regra do grid invertido em relação à corrida de sábado, o experiente Marco Cozzi tinha a primeira posição, com Gabriel Robe em segundo e Lukas Moraes em terceiro no grid. Não fazia tanto calor quanto na tarde de sábado, com 23ºC de temperatura ambiente e 29ºC no asfalto no domingo pela manhã.
 
Cozzi usou e abusou da experiência para apontar na frente, mas já era bastante pressionado pelo jovem e talentoso Lukas, que vinha em segundo. Pior para o líder do campeonato naquele momento. Gabriel Robe se envolveu em um incidente com Gustavo Frigotto e levou a pior, caindo para último. 
 
Grande vencedor de sábado, Baptista seguia bem próximo dos líderes e vinha em terceiro. Já Gaetano di Mauro, na luta para voltar à ponta do campeonato, subia para oitavo lugar.
 
Na quinta volta, Moraes mostrava que não pode ficar fora do automobilismo. Com grande manobra, o jovem paulista fez a ultrapassagem sobre Cozzi e assumiu a liderança da corrida em Londrina. Mais atrás, a prova era também muito disputada com batalhas diretas envolvendo Pedro Saderi, Lucas Peres, Di Mauro, Vinícius Margiota e Giulio Borlenghi.
Gabriel Robe alcançou grande recuperação, saiu de último e terminou em segundo (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)
Frigotto encerrou sua participação após perder o controle do carro e escapar na saída do S, batendo forte e de frente na barreira de pneus. Tudo bem com o curitibano, que desceu do carro e acenou para o público. Mas a direção de prova então acionou o safety-car para permitir a remoção do carro #86 com segurança. Pouco antes, Pedro Saderi e Di Mauro se envolviam em um incidente, com o piloto da casa rodando na chicane.
 
Era a senha para a abertura da janela de pit-stop obrigatório em Londrina. Aí foi o pulo do gato. Antes do safety-car, pilotos como Borlenghi, Robe, Guto Matiazi, Gustavo Myasava e Lucas Peres, que estavam no meio do pelotão, aproveitaram e entraram no pit-lane. 
 
Na volta seguinte, já sob regime do SC, Moraes e Cozzi também entraram juntos para a parada obrigatória. Mas o time de Cozzi fez um trabalho um pouco melhor. Os dois saíram emparelhados, lado a lado, e Lukas quase se chocou com o safety-car, parado ali na saída do pit-lane. No fim das contas, Cozzi levou a melhor e retomou a ponta.
 
Baptista retardou a sua parada em mais uma volta e, após fazer o pit-stop, quase ganhou duas posições, voltando muito perto de Cozzi e Moraes. Em contrapartida, Di Mauro tinha a notícia da punição com drive-through por conta do incidente com Saderi.
Gaetano di Mauro terminou a prova deste domingo em oitavo (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)
Na abertura da volta 19, Lukas fez grande manobra, usou o push-to-pass e, por fora, conseguiu ultrapassar Cozzi. Mas a alegria do jovem piloto durou pouco. Na entrada da chicane, o substituto de Raphael Reis acabou retardando a freada e rodou com seu carro #1, abandonando a prova pouco depois. Em seguida, Baptista não conseguiu frear seu carro e bateu forte e de frente no muro seco, sem proteção dos pneus.
 
Mas a entrada do safety-car permitiu que muitos pilotos que estavam outrora fora da luta pela vitória conseguissem ganhar posições nas paradas obrigatórias. Borlenghi, que largou apenas da 17ª colocação, recuperou enorme terreno e subiu para a ponta depois da janela de pit-stops, enquanto Robe, que havia despencado para último, era nada menos que o segundo lugar, em excelente posição para o campeonato, com Myasava em terceiro. Cozzi, que tinha tudo para vencer em condições normais, era o sexto.
A estratégia perfeita foi decisiva para o triunfo de Borlenghi (Foto: Marcus Cicarello/Radical Motors/RF1)
Ao fim de 26 voltas, Borlenghi se recuperou da prova complicada da tarde de sábado da melhor forma. Com a Full Time Academy acertando na estratégia, o santista de 21 anos venceu pela primeira vez no Brasileiro de Turismo. Mas o grande vencedor do fim de semana foi Robe, que garantiu um improvável segundo lugar e ampliou sua vantagem na liderança do campeonato, enquanto Myasava fechou em terceiro. Lucas Peres e Guto Matiazi completaram o pódio. Di Mauro, após a punição, terminou na oitava posição.
HAMILTON FAZ DEVER DE CASA E JOGA BOLA PARA VETTEL. QUE TEM OBRIGAÇÃO DE VENCER EM SINGAPURA