Brasileiro de Marcas

Orige supera incidente na largada, fica em terceiro em Interlagos e leva título do BR de Marcas. Souza vence corrida 2

Carlos Souza venceu a última corrida do ano no Brasileiro de Marcas, mas o sorriso mais largo foi do novo campeão, Vicente Orige. O catarinense de Criciúma largou em sétimo, resistiu a um incidente envolvendo vários carros na largada e, mesmo com seu Chevrolet Cruze todo avariado, terminou em terceiro, atrás também de Thiago Marques. Nonô Figueiredo foi o quarto e não conseguiu alcançar Orige, o novo campeão do Brasileiro de Marcas
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Vicente Orige controlou a corrida 1 do Brasileiro de Marcas no Velo Città (Foto: Duda Bairros/Vicar)

O Brasileiro de Marcas coroou seu novo campeão na tarde deste domingo (10) em Interlagos. Nonô Figueiredo liderou praticamente a temporada inteira, mas uma pane no seu Chevrolet Cruze na prova do último sábado colocou tudo a perder. Vicente Orige largou na prova derradeira como líder do campeonato e sequer precisava vencer para erguer a taça. E assim foi. O catarinense de Criciúma superou um acidente com vários pilotos na largada e, mesmo com o carro avariado, completou a corrida final do campeonato em terceiro, atrás do vencedor, Carlos Souza, e Thiago Marques, após belo duelo nas voltas finais. 
 
Como Nonô não passou do quarto lugar, o resultado foi o bastante para confirmar Orige como o novo campeão do Brasileiro de Marcas em 2017.
 
O veterano de 41 anos vinha buscando a conquista desde 2012. Chegou muito perto dois anos depois, quando foi o vice-campeão com um Honda Civic da equipe JLM, de Juliano Moro. Ano passado, novamente Orige ficou entre os melhores, finalizando em terceiro o campeonato. Mas 2017 finalmente foi o ano da sua consagração como campeão no automobilismo nacional. Na pontuação final, Orige finalizou com 278 pontos, contra 271 de Nonô e 264 de Marques. Felipe Tozzo foi o quarto, com 221, enquanto Pedro Boesel fechou o rol dos cinco primeiros. E entre as marcas, a Chevrolet confirmou com sobras o título da temporada.
Vicente Orige é o novo campeão do Brasileiro de Marcas (Foto: Duda Bairros/Vicar)
Saiba como foi a corrida 2 do Brasileiro de Marcas em Interlagos
 
Com três postulantes ao título, tudo ainda estava aberto para a última corrida de um intenso fim de semana em Interlagos. Vicente Orige, líder do campeonato, largou na sétima posição em razão do seu segundo lugar na corrida 1 no sábado. O piloto partiu lado a lado com Thiago Marques, o vencedor da primeira prova. Nonô Figueiredo, líder até à penúltima prova, largou na parte final do grid. E o pole era de Patrick Choate, com seu Renault Fluence de layout em homenagem a Ayrton Senna.
 
Mas a prova começou muito acidentada. Antes mesmo de os carros passarem na linha de chegada, vários carros se colocaram lado a lado com o pole. Choate foi ensanduichado em plena reta dos boxes, sofreu o contato do carro de Márcio Basso, que tocou em Vicente Orige, o que acabou provocando um strike. Pedro Boesel perdeu o controle do seu Chevrolet Cruze e bateu na barreira de proteção. Envolvido na batida, Basso abandonou pouco depois.
 
Assim, a liderança caiu no colo de Carlos Souza, que havia largado em quarto. O piloto do Chevrolet Cruze #28 era seguido pelo Toyota Corolla de Thiago Klein e por outro Cruze, de Felipe Tozzo. Thiago Marques se deu bem e subiu para quarto, logo à frente de Orige, com seu carro todo avariado, e de Nonô. Ou seja, os três candidatos ao título estavam um atrás do outro na disputa, ainda com o safety-car.
Nonô Figueiredo fechou a temporada como vice-campeão do Brasileiro de Marcas (Foto: Fabio Davini/Vicar)
A relargada aconteceu na terceira volta, e Nonô travou duelo roda a roda com Orige pelo quinto lugar. Mesmo com seu Cruze todo danificado, o veterano de Criciúma manteve a posição, enquanto Marques conseguiu passar Felipe Tozzo para avançar à terceira posição. E Márcio Basso, companheiro de equipe de Nonô na Onze/HERO, deixava a prova.
 
Orige abria caminho para passar Tozzo. Mas Marques estava impossível e também ganhou uma posição ao passar o Corolla de Klein e subir para segundo. Por outro lado, Nonô vinha em quinto, mas não parecia ter o mesmo ritmo dos seus concorrentes diretos. Orige não estava satisfeito e também arriscou a ultrapassagem pra cima de Klein e quase rodou na saída do S do Senna quando ganhou o terceiro lugar na base da raça.
 
Também na raça, Nonô tinha de arriscar tudo para passar Klein e subir para quarto. O veterano precisava passar Orige para levar o título da temporada, mas a diferença se mostrava cada vez mais difícil de ser reduzida.
 

A prova partiu para a sua definição com Souza consolidado na liderança. Orige encostou no Renault Fluence ‘Pica-Pau’ de Marques, mas sabia que era ele quem tinha mais a perder. Assim, foi cauteloso nas voltas finais. Como tinha Nonô bem atrás, Vicente só controlou a corrida para chegar em terceiro, finalmente, comemorar a conquista do título do Brasileiro de Marcas no templo do automobilismo brasileiro.
 
O fim da prova foi marcado por um grande duelo entre os líderes Carlos Souza e Thiago Marques. Com toda a sua experiência, o piloto do carro #1 tentou de todas as formas e tinha claramente melhor performance. Mas por apenas 0s225, Souza levou a Chevrolet à última vitória do ano. E Orige confirmou a conquista do título em Interlagos.
FALTA DE HONESTIDADE

PERDA DE ETAPA DA FÓRMULA E É DESASTROSA PARA SÃO PAULO